Hemóstase

A Hemóstase é a resposta fisiológica normal do corpo para prevenir e/ou interromper uma hemorragia. A Hemóstase pretende assim, bloquear qualquer dano vascular. De uma forma geral, através da hemóstase, o corpo consegue assegurar a fluidez sanguínea e a integridade dos vasos sanguíneos. As anomalias da Hemóstase podem manifestar-se de duas formas completamente opostas: hemorragias ou formação de coágulos sanguíneos (trombos - trombose).

Um processo composto por três etapas

Um processo composto por três etapas

  • Hemóstase Primária: contração vascular local (para reduzir o débito sanguíneo no local de uma lesão), formação de um tampão de plaquetas.
  • Hemóstase Secundária ou coagulação plasmática, que implica a interação entre diversos fatores e inibidores.
  • Fibrinólise: é o processo que elimina o coágulo após a integridade dos vasos sanguíneos ter sido restaurada.

Sempre que existe um dano num vaso sanguíneo, a prioridade (Hemóstase primária) para o corpo passa por formar "um tampão" no local desse dano para prevenir a saída de sangue. Os principais componentes do sangue que intervêm nesta fase, são as plaquetas e o fibrinogénio: estes reagem em conjunto e bloqueiam o dano através da formação de um tampão plaquetário, na zona da lesão vascular.

Hemostasia primária

Quando ocorre uma lesão num vaso sanguíneo, a prioridade é a formação de um tampão na zona dessa lesão (Hemóstase primária) para travar a saída de sangue. Os principais responsáveis pela formação deste tampão são as plaquetas e o fibrinogénio, que reagem e interrompem a saída de sangue pela formação de um tampão de plaquetas.

Figura 1: Formação de um coágulo. (Fonte: “Introduction à l'étude de l'hémostase et de la thrombose” - B. Boneu, J-P. Cazenave - 1997). A hemorragia no local da lesão vascular é travada pela formação de um coágulo. A lesão causa uma vasoconstrição transitória dos pequenos vasos sanguíneos, reduzindo o débito sanguíneo. As plaquetas aderem ao tecido subendotelial no local da lesão e, por fim, agregam-se. O início da coagulação originará a formação de fibrina, que ajudará a estabilizar este coágulo, interrompendo/impedindo a saída/perda de sangue.

Brêche = Ruptura
Epanchement sanguin = Hemorragia
Aggrégation plaquettaire = Agregação de plaquetas
Adhésion plaquettaire = Adesão de plaquetas
Activation de la coagulation = Ativação da coagulação
Fibrine = Fibrina

Na sequência desta primeira etapa, a formação do coágulo (coagulação) interromperá qualquer hemorragia (Hemóstase secundária). Este processo é composto por várias reações químicas que envolvem diversos componentes plasmáticos. Até hoje, estão descritos como estando envolvidos neste processo 10 fatores de coagulação principais. As interações complexas entre eles originam a transformação de uma proteína solúvel, o fibrinogénio, numa proteína insolúvel, a fibrina, que formará a estrutura do coágulo. Em circunstâncias normais, a cicatrização da lesão ocorre e a fibrinólise dissolverá o coágulo.

Anomalias da coagulação

Os distúrbios ou problemas de coagulação são diagnosticados através de exames laboratoriais que permitem investigar partes específicas do processo de coagulação, com recurso a um teste global (tempo de coagulação), teste analítico que analisa especificamente o funcionamento do conjunto dos diferentes componentes de coagulação; e um "hemograma", que avalia a quantidade de hemoglobina e o número de glóbulos brancos, de glóbulos vermelhos e de plaquetas por milímetro cúbico de sangue.

Além destes, alguns testes laboratoriais são também utilizados para determinar o efeito de fármacos anticoagulantes administrados aos doentes para reduzir o risco de trombose. A atividade da Diagnostica Stago consiste em estudar, investigar e conhecer os mecanismos envolvidos na coagulação sanguínea; investigar, desenvolver e produzir equipamentos e reagentes best in class que serão utilizados pela medicina laboratorial, nos laboratórios para diagnosticar, monitorizar e compreender os mecânismos de coagulação/Hemóstase dos doentes, o seu funcionamento e/ou défice.

Topo