Sangue

O sangue é um líquido viscoso de cor vermelha que circula rapidamente nas artérias e nas veias, é bombeado por um órgão: o coração.

O sangue tem uma composição complexa, irriga todos os tecidos e desempenha várias funções.

O débito através de vários pequenos vasos (a rede capilar entre a circulação arterial e a circulação venosa) permite o transporte de gases (oxigénio e dióxido de carbono), de substâncias nutritivas (hidratos de carbono, gorduras e proteínas) e de todos os elementos necessários para as nossas defesas contra microrganismos (bactérias, parasitas e vírus). Este mecanismo de defesa utiliza vários componentes distintos presentes no sangue (anticorpos) e diferentes tipos de glóbulos brancos (por exemplo, neutrófilos, monócitos, linfócitos e eosinófilos).

Cada batimento cardíaco envia cerca de metade do respetivo volume sanguíneo para os pulmões. Nos pulmões, o dióxido de carbono é eliminado e expelido no ar expirado e o oxigénio, por sua vez, é absorvido e ligado aos glóbulos vermelhos. A outra metade do volume sanguíneo é enviada através da aorta (circulação arterial) para os diversos tecidos e órgãos. O sangue retorna ao coração através da veia cava (circulação venosa).

Composição do Sangue

Cerca de metade do volume sanguíneo é composto por células (glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas), a outra metade é composta por líquido (plasma). Os glóbulos vermelhos são científica e clinicamente conhecidos como eritrócitos. Os glóbulos brancos são científica e clinicamente conhecidos como leucócitos (sendo que existem vários tipos de leucócitos, nomeadamente: neutrófilos, monócitos, linfócitos e eosinófilos).

Os Glóbulos Vermelhos (Eritrócitos) contêm hemoglobina. O principal papel da hemoglobina consiste em transportar o oxigénio dos pulmões para os tecidos.

Os Glóbulos Brancos (Leucócitos) são compostos por vários tipos de células diferentes. Os principais tipos são os neutrófilos, os monócitos e os linfócitos. Os neutrófilos e os monócitos (incluindo os macrófagos) desempenham um papel essencial na defesa não específica do corpo contra infeções (atuam como agentes "necrófagos"). Os linfócitos, por sua vez, desempenham um papel muito importante na imunidade celular (mecanismo de defesa mais específico).

As Plaquetas são pequenas células circulantes que trabalham em conjunto com fatores de coagulação (proteínas que circulam no plasma) e desempenham um papel essencial na prevenção de perdas de sangue.

O Plasma é um líquido de cor amarelada, composto sobretudo por água ligeiramente salgada (0,9%) com quantidades variáveis de outros componentes, incluindo substâncias nutritivas e resíduos.

As suas propriedades físico-químicas são notoriamente constantes, em particular o pH (que se mantém em pH 7,42) e a concentração de diversos elementos químicos (sobretudo sódio, potássio, cloro, fosfato, etc.).

  • As substâncias nutritivas do plasma são compostas por açúcares (sobretudo glucose), gorduras (colesterol, triglicéridos e ácidos gordos), aminoácidos, sais minerais e vitaminas.
  • Os resíduos são principalmente compostos por ureia e bilirrubina. A ureia é o produto final da degradação de substâncias azotadas e a bilirrubina, por sua vez, provém da hemoglobina como resultado da destruição de glóbulos vermelhos pelos macrófagos (um tipo de monócito).
  • Adcionalmente, existem várias proteínas no plasma, entre as quais:
    • todos os fatores de coagulação, incluindo o fibrinogénio, que sob a ação da trombina  é convertido em fibrina para formar o coágulo fibroso (a título de informação adicional, o soro é o plasma cuja fibrina foi eliminada);
    • a albumina que é, quantitativamente, a proteína mais abundante no plasma em indivíduos saudáveis e desempenha um papel essencial no transporte das hormonas e das vitaminas;
    • várias outras proteínas, incluindo hormonas e alguns fatores de crescimento. Estes são mensageiros químicos transportados pelo sangue que regulam a produção das várias células dos diferentes componentes do corpo (por exemplo, a eritropoietina que estimula a síntese dos glóbulos vermelhos pela medula óssea).

As proteínas maiores estão envolvidas num processo denominado pressão osmótica, que ajuda a manter o volume sanguíneo constante.

Análises ao sangue

Muitas doenças causam alterações na composição do sangue e podem, por isso, ser diagnosticadas, avaliadas e monitorizadas numa amostra de sangue.

Existem três tipos comuns de análises ao sangue:

  • Hematológica
  • Bioquímica
  • Microbiológica

A primeira parte de qualquer análise envolve a colheita de uma amostra de sangue. Após a colocação de um garrote no braço acima do ponto de punção, o sangue é recolhido a partir de uma veia na flexão do braço utilizando uma seringa e uma agulha. Em alguns casos, quando são apenas necessárias algumas gotas de sangue, este pode ser recolhido efetuando a punção na ponta de um dedo. Os resultados dos testes são comparados a valores de referência que podem variar, entre outras variáveis, com a idade e o sexo do doente, bem como de acordo com o método utilizado pelo laboratório responsável pela realização da análise.

Podemos agora regressar à questão: o que é a Hemóstase?

Topo